Introspeção…

buddha-1569559_960_720.jpg

Estes são dias de paragem, de serenidade e de reflexão. Oportunidade para muitas viagens, para conhecer outros mundos, outras culturas, mas a mais importante caminhada é a que fazemos rumo ao nosso íntimo.

O tempo passa veloz, já nos sentimos atrasados mal os dias nascem, as noites surgem tardias e já devastadas pelo cansaço, vivemos escoltados pela marcação do tempo e reféns da sua falta.

Não há espaço para a partilha, para a alegria das conquistas ou tristeza das derrotas, para o abraço, para o riso, remetido para um “momento” mais oportuno. Nós – e os outros – vivemos nesta correria, sem se saber o sentido do destino final.

Avançamos sem sonhos, sem ideais, sem utopias, no vazio da ânsia de acumulação de bens materiais, mais com sentido de posse do que de utilidade.

E é esta espiral que nos vai consumindo, que nos vai transformando em seres solitários, com vidas carentes de sentido, em que no esteio de noites estreladas já se pressentem escuras madrugadas, ponto de partida de rotineiras e intermináveis jornadas.

Mas as vivências mais profundas, a sabedoria acumulada e a visão do tempo a escoar, como a areia da ampulheta, fazem soar o alarme de que o futuro não é eterno, sendo imperativa a mudança para deixar a “pegada” da nossa existência, fazendo a apologia de uma vida mais silenciosa, vivida mais lentamente e cultivando a arte da contemplação.

Assim daremos asas à nossa criatividade e aos nossos sonhos!

(Manuela Resendes)

eggs-3216879_960_720.jpg

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s