O baloiço

O baloiço sempre foi um dos meus brinquedos preferidos, ainda que o poder de escolha não fosse muito diversificado.

A sensação de voar, de ser levada e desenhar sonhos no ar, sempre me fascinou. Rasgava os céus para atingir destinos longínquos, inventava novas vidas, fugindo assim à monotonia dos dias que corriam sem novidade.

Neste voo, dançava com o vento e cantava para ouvir o eco das palavras, ganhando a voz que não tinha, prenúncio de um novo tempo.

Aproveitando cada impulso deixava a vida fluir, perdendo a medida do tempo na certeza que um novo sol iria sempre raiar.

E neste vai e vem deixava cair medos e angústias, e colhia a liberdade e audácia de querer ver para além do horizonte.

Ainda hoje gosto de andar de baloiço, num movimento que sinto como uma metáfora da vida: com altos e baixos, ganhar impulso para o voo com os pés assentes na terra, com a inevitabilidade de que o caminho nāo é linear e que a corda pode ruir.

Mas se nāo ousarmos, o tempo passa e a vida acaba por seruma promessa por cumprir!

(Manuela Resendes)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s