Caminhada matinal

Tão bom começar o feriado com uma caminhada matinal, sob uma temperatura amena, a ouvir o mar e com o cheiro a maresia.

Foram 5 km percorridos a um ritmo de 8,32 minutos por km, sem se sentir o esforço tão distraída estava com a paisagem.

Este tipo de exercício físico, para além de agradável, faz bem ao corpo e à mente, empoderando-nos de uma energia e bom humor que nos permite acolher o dia com outra disposição.

Bom Feriado

(Manuela Resendes)

Cidadania…

Se estamos cansados das restrições impostas pela pandemia? Claro que sim, são muitos meses de uma vida vivida pela metade, de sonhos roubados e perdas irreparáveis.

Mas esta não é hora para desistir porque este é o tempo de exercer o nosso dever de cidadania, cumprindo de forma responsável todas as recomendações preconizadas pelas autoridades de saúde, protegendo-nos e protegendo os outros.

Sem esta corrente de cuidado, respeito e solidariedade intergeracional colocamos em risco o esforço de muitos e esbanjamos os preciosos, mas escassos, meios alocados ao combate a esta pandemia.

Por vezes os dias nascem já desmaiados de motivação e o medo visita-nos, mas nem assim podemos ficar indiferentes às lutas do outro, evitando sermos tocados pelo seu sofrimento.

Não podemos deixar de comparecer aos pedidos de socorro que reconhecemos em olhares de súplica.

Temos de ser a luz que entra em janelas abandonadas para aquecer corações onde já não habita a esperança.

Que cada um de nós se inspire a ser exemplo de cidadania, responsabilidade e solidariedade.

Juntos somos mais fortes!!!

(Manuela Resendes)

Depressão…

tree-1031814_960_720

A depressão não é um estado de alma, mas sim uma doença mental que tal como outra qualquer patologia tem de ser tratada por profissionais de saúde  devidamente habilitados para o efeito.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem deste transtorno, com maior incidência nas mulheres.

Cerca de 800 000 pessoas por ano morrem  por suicídio na sequência de sintomas provocados pela depressão, vendo na morte a solução para uma dor que se lhes apresenta intransponível.

 

Procuro uma réstia de luz

Que o coração não alcança

Eterno desejo de mudança

Neste calvário sem cruz

 

Perdi-me algures no mundo

Perdi o  norte e a vontade

Vejo sempre a pior metade

O resto é vazio profundo

 

Procuro na noite o sono

De dia busco energia

Nesta infinita solidão

 

Eu apenas pretendia

Ter o dom e o condão

Deixar a dor sem  dono

(Manuela Resendes)

holzfigur-980784_960_720