Imensidão

Avisto de ilhas misteriosas

A eternidade

Nos ventos fortes galopando

A liberdade

No azul do mar navegando

O sonho

Lá o céu e o mar tocam-se

Num beijo

E nas ondas vou descarregar

Os cansaços

Vou voar em nuvens felizes

Ser sol

Acordar manhãs de tons matizes

Ao luar

Semear todas as cores no jardim

O mar

E neste espaço celestial

Habitar

(Manuela Resendes)

Trilho Salto do Prego/Sanguinho

O trilho começa na localidade de Faial da Terra e decorre num percurso entre vegetação variada e exuberante, riachos e pequenas cascatas, apresentando algum grau de dificuldade para iniciantes devido à inclinação do mesmo.

No entanto a beleza do percurso compensa largamente o esforço, culminando na cascata do Salto do Prego, que surge com pujança do meio da vegetação e onde nos podemos refrescar e usufruir de uma paisagem paradisíaca.

Andando um pouco mais, chegamos a um lugar encantado chamado Sanguinho, que era uma pequena aldeia de agricultores com pequenas casas e quintas, mais tarde abandonada e que está agora aos poucos a ser reconstruída.

A vista é deslumbrante…

(Manuela Resendes)

Escrever…

Gosto de escrever quando a casa se enche de silêncios, quando pressinto a presença dos outros, mas sem ruído, e o tempo é apenas assinalado pelo sino da igreja.

Ouço ladrar o cão do vizinho, os pássaros parecem-me felizes, entre o voo e o canto, e de longe chegam-me risos de crianças.

Com o eco destes sons vou-me desligando da realidade e confinando no meu reduto de mistério e singularidade para uma conversa comigo própria. Num misto de inquietude melancólica e de nostalgia serena vão fluindo perguntas e respostas, mesmo relativamente a questões para as quais não tinha encontrado ainda solução.

Vou assim abrindo as portas de sótãos e arrecadações da mente, sítios mais escuros e sombrios, e soltam-se emoções e sentimentos, que ficam plasmados em folhas brancas, libertos de opressão e passíveis de serem melhor compreendidos.

Alcanço desta forma o que há de mais profundo e subtil em mim, conferindo maior transparência e leveza à minha forma de olhar a realidade.

E num acolher de horizontes, cada vez mais extensos, vou ganhando infinitas possibilidades de escolha e cada vez maior gratidão à vida de que sou portadora.

(Manuela Resendes)

Trilho da Lagoa das Furnas

Fazemos este trilho partindo da povoação das Furnas até à Lagoa, contornando depois toda a extensão da mesma e voltando depois à novamente ao ponto de partida, percorrendo cerca de 12km.

Paisagem de rara beleza, com vegetação luxuriante, e todo o tipo de flores, que brotam por todo o lado, oferecendo um colorido que desperta todos os sentidos.

A Lagoa é sempre grandiosa em tamanho e beleza, dando a sensação de frescura também por estar cercada de vegetação, num contraste raro quanto agradável.

Porque as Furnas não se esgotam nas famosas caldeiras, esta é uma sugestão para melhor ficar a conhecer este local encantado.

(Manuela Resendes)

As voltas da vida

O mundo está em constante mutação e a vida vai-nos surpreendendo das mais diversas formas, sem termos escolha sobre o que nos coube experienciar, mas sim na forma como acolhemos os desafios deste constante pulsar de emoções.

Nós próprios vamos evoluindo, dando espaço a diferentes formas de entendimento do mundo, pelo conhecimento e vivências, e alcançando o mais profundo do nosso ser para interpretar a nossa história de vida.

Aprendemos a aceitar o que não se cumpre, o futuro que nos é confiscado e a relativizar os imprevistos, confiando serem oportunidade para mudança de rumo que irá desembocar num cais, que nos retira dos circuitos rotineiros e cómodos que nos impedem de ver a novidade.

Não deixo de me revoltar com as injustiças e atrocidades que todos os dias acontecem mas, ao invés de alimentar sentimentos corrosivos de raiva e ódio, prefiro ser uma voz harmoniosa e eficaz, pondo ao serviço do coletivo todos os contributos ao meu alcance.

E não menos importante é comemorar todas as minhas secretas vitórias, sem testemunhas nem pódio, mas que funcionam como lampejos de luz que iluminam os dias sombrios.

E apesar da aridez destes tempos, tento manter aquela ternura doce de criança sonhadora, acreditando na bondade dos pequenos gestos e na virtude do exemplo. Foco aí os holofotes para ver refletida uma imagem luminosa e inspiradora, sabendo que mesmo em dias de nuvens escuras podemos avistar o colorido do arco-íris.

Que nos saibamos sempre reconciliar com a vida…

(Manuela Resendes)

Bem vindo Julho

Apesar deste tempo de incertezas, limitações e preocupação o tempo corre indiferente e chegamos novamente ao mês de Julho.

Era expectável que fosse um dia de sol radioso, feito de todas as cores do Verão e com sabor a maresia e amoras selvagens. Mas o dia está nublado, o vento sopra desagradável e a chuva deixa a areia molhada e a alma enganada.

É Verão mas não posso vaguear por manhãs azuis, andando sobre tapetes de relva cortada e colhendo flores campestres. Mas enquanto o tempo vai escapando por entre frechas de portas e janelas vou criando memórias que se eternizam na mente e na poesia.

Mas a tempestade vai passar, a neblina vai deixar o sol brilhar e o mar encapelado vai voltar a ser chão, para que o tempo volte a ser de Verão.

Quero ainda sonhar sem perder a esperança nem abalar a minha perseverança, ver o mundo da montanha mais alta, tocar a lua e dançar com os Anjos, promessas de Verão que serão esculpidas em dias de calor.

E apesar do dia sombrio há sempre um sorriso que nos ilumina…

(Manuela Resendes)

Silêncio e Paz

Gosto de revisitar este sitio místico de esperança e de fé…

Aqui mergulho nas águas claras mais profundas do meu ser e sinto-me a levitar neste chão de céu, que me permite ouvir o meu coração com uma clareza só possível neste aquietar da vida.

Há um silêncio pleno de sabedoria, onde consigo atingir o mais alto nível do pensamento, força transformadora para o encontro com a paz.

Sinto uma comoção deste novo olhar sobre as coisas, despida de todos os preconceitos e juízos de valor neste perscrutar a alma do outro atravessando uma luz dócil. Vou assim construindo pontes de sorrisos, alavancadas pela manifestação de fé silenciosa e transbordante.

E neste espaço fechado, mas sem limites, em que se abrem todas as fronteiras, sinto que anjos flutuam sobre mim apaziguando dúvidas penitentes e acolhendo novas esperanças, seguindo o rasto de fios que unem o coração à mente.

Este foi um tempo revelador, mesmo do que ainda não tinha questionado, e feito de instantes invisíveis onde tudo se extrai.

Absorvo o meu silêncio e usufruo de toda a beleza deste momento…

(Manuela Resendes)

Mais passado do que futuro…

Há um tempo em que nos sentimos eternos, tudo nos parece tangível e podemos arriscar tudo porque inconscientemente sabemos que ainda podemos voltar de novo ao ponto de partida.

E assim vamos construindo o futuro, com o passado como legado e alicerce, tanto ao nível das emoções como da sabedoria que vamos acumulando.

E agora chegada a um tempo em que o futuro é mais escasso vou habitando novos espaços, mas sabendo que a estrada que me fez chegar até aqui e a bagagem que transporto, porque faz intrinsecamente parte de mim, segue comigo

Vou inventando novos labirintos, refazendo os sonhos, procurando entender a mística destes tempos em olhares distraídos que captam belezas indecifráveis.

Vou preferindo o degustar do tempo ao esticar das horas, em noites que se fazem dias numa fúria de viver, anestesiada por emoções fugazes, pela alegria inventada e pela adrenalina do momento, que nem chegam a ficar devidamente registados na memória.

Sabendo agora que a flor murcha, e se bem cuidada volta a florir, reparo mais na beleza das coisas do que na sua utilidade, e assistir ao despontar do dia enche-me a alma de esperança.

Não quero ficar presa ao passado mas sim retirar dele o que foi e continua a ser importante para a pessoa que sou e para o que ainda quero vir a ser. Vou continuar a lançar ao vento sementes de novidade, mesmo em terrenos inóspitos e corações endurecidos, permitindo ver outras paisagens a partir da mesma janela.

Agora sei que a alquimia do tempo, resulta de ser uma matéria prima sublime e revestida de Amor e de Mar que permite tocar a eternidade!

(Manuela Resendes)

Serra Devassa

Este é um trilho que se faz ao longo de cones vulcânicos, com vista para lagoas e uma vegetação sempre exuberante, podendo assim usufruir-se de paisagens deslumbrantes.

As condições meteorológicas têm de ser favoráveis, sendo que a altitude se situa entre os 750m e os 900m, zona de nevoeiros e neblinas frequentes.

O esforço é largamente recompensado pela paisagem, caminho percorrido ao som do coaxar das rãs e cantar dos pássaros, ar puro e sensação de um “lavar de alma”.

Pronta para o próximo…

(Manuela Resendes)

Passeio…

Olho o mar e é como se olhasse a vida…

Concentro-me no movimento das marés, que tal como o tempo nunca param e sinto-me serena sem razão. Vêem-me à memória lembranças nebulosas de vida devorada por um tempo invisível.

Mas desta teia de pequenos instantes, brotam também esperanças que estavam perdidas na luz incandescente que nos impede de ver, mas que de alguma forma se revelam.

Deixo-me embalar pelo movimento leve e sincronizado das ondas e sinto uma avidez transbordante de vida. Não deixo que o ruído da multidão me impeça de ouvir o meu silêncio, os meus medos e os meus sonhos.

E prossigo…

(Manuela Resendes)