Cansaços…

Sinto em mim um estranho cansaço, que nāo sei se é angústia da alma ou os limites do corpo. Há uma ausência de mim, neste viver rodeada de exiguidade.

O meu olhar vai-se esvaziando na exaustão dos dias, nesta busca constante de transcendências, inventando um chão infinito para tocar as distâncias.

Acordo todos os dias, na esperança de boas marés que permitam fazer-me à viagem, na esperança de avistar novos azuis que me devolvam o brilho no olhar.

Esta inquietude, de olhar o Mundo desequilibrado e desequilibrador, num silêncio perturbador que faz um eco fascinado por palavras, tira-me a Paz.

Mas ao abrir todas as cortinas e deixar entrar a luz do Sol, em todas as minhas janelas, afastei a escuridão que me suga a energia e me rouba a alegria dos amanheceres. Começo então a sonhar que o calor que sinto, dos raios solares que me inundam, serão capazes de destruir o ódio, a violência e a injustiça, e volto a ter esperança na Humanidade.

Talvez seja utopia, ou a minha inabilidade para lidar com esperas inúteis…

(Manuela Resendes)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s