Decifrar o mundo…

Vivemos com uma clara falta de aproximação, alheados de tudo e sem escutar o que nos rodeia. Deixamos de decifrar estados de espirito nos rostos com quem nos cruzamos, de prever a chuva a olhar o céu ou de perceber a passagem do tempo pelo germinar das sementes.

Olhamos a lua só como espetáculo, alvo de foto para o Instagram, sem tão pouco a correlacionar com os ciclos da natureza.

Olhamos as flores porque as cores são apelativas e o belo nos atrai. Mas não nos detemos nos pormenores, na delicadeza de cada pétala, na interação com o sol ou na subtileza do seu perfume.

Mas tudo isto é poesia, permitindo-nos mergulhar num mar de ternura, de esperança que nos alavanca para um olhar mais humanizado.

Esta transcendência é o melhor ansiolítico para amenizar a inquietude em que vivemos e conquistar uma serenidade harmoniosa, dando um salto de fé que nos vai permitindo compreender melhor a infinita complexidade da vida.

E não estamos sós, podemos sempre ir buscar a necessária inspiração e exemplo a outras vidas que connosco partilham esta misteriosa aventura que é a vida, para que o futuro encontre o seu espaço, ligado ao passado por fios invisíveis que fazem a devida conexão.

(Manuela Resendes)

2 Comments

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s