Vida…

Em silêncio vejo passar o mundo

Em vastos e distantes horizontes

Brumas que sobem aos montes

Captam meu olhar mais profundo

Vejo gente que de tanto sofrer

Sem voz, abandona a esperança

Na espuma vou colher a mudança

E já renovada a quero devolver

Alheia a primaveras sombrias

Pressinto já novas alegrias

De palavras gastas, faço um poema

E despertei com vontade infinita

De apagar o fogo que ainda crepita

E de Paz e Justiça fazer o nosso lema

(Manuela Resendes)

2 Comments

  1. Que a Paz esteja sempre contigo…

    Quanto à justiça, praticada pelos homens, por vezes deixa-me tão incrédulo que escrevi um artigo intitulado: “ERA BEM FEITO QUE DEUS EXISTISSE”. Neste artª fazia um apelo desesperado à Justiça Divina…

    O soneto é a forma poética por excelência, porque obriga à rima, à métrica, à musicalidade e à imaginação. E este teu soneto tem todos esses ingredientes. Parabéns.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s